terça-feira, 10 de julho de 2007

Breve maltratado das coisas que não existem [24]

«Você abusou/Tirou partido de mim, abusou» é a vitimização perfeita. «Que me perdoem se eu insisto neste tema/Mas não sei fazer poema ou canção/Que fale de outra coisa que não seja o amor» é um disparate pegado, porque tudo o que tem poesia fala ou não fala, isto é, cala sobre o amor. Quanto a «É tão normal ter desamor/É tão cafona sofrer dor/Que eu já nem sei/Se é meninice ou cafonice/O meu amor», sinceramente: os outros que se lixem.