terça-feira, 10 de julho de 2007

O primeiro dia de um emprego de Verão. Sorrir, cumprimentar pessoas com apertos de mão demasiado firmes para o calor e a vontade da sesta, duas horas no autocarro do regresso, do lado do sol, a sensação de que algo de muito grave está a começar a tomar forma na minha vida, amanhã entro às oito e meia, pico o ponto, que é como quem diz, porque eu dou é à máquina a minha impressão digital, às oito e meia, sem apelo nem agravo. Estate sei calda come i baci che ho perduto.