terça-feira, 10 de julho de 2007

Provocação

Também nunca terei um quadro de Rothko e, neste caso, a razão é clara: não me atrevo a achar que o que ele pintava eram quadros e, sobretudo, que os quadros que ele pintava valem o que se anda a pagar por eles.