sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Crer para ver

Digam o que disserem sobre a necessidade inequívoca do método experimental e tralalá rebeubéu pardais ao ninho, a verdade é que tudo começa por crer. Creio que vejo para ver e creio bem que esta ordem, ainda que logicamente inaceitável, é que é inequívoca. Sei porque experimentei. E sei porque creio. E creio porque é a única maneira de não admitir que, desde que cheguei, ainda não disse nada que não fosse um lugar comum.