sábado, 31 de janeiro de 2009

Tati


A RTP2 sabe que estou de cama e vai passar daqui a pouco, a partir das 22h30, dois filmes de Jacques Tati.

(A imagem é do magnífico arquivo que a Life decidiu abrir ao público; Tati, num táxi de Nova Iorque, fotografado por Yale Joel, em 1958.)

Freeport

Divirta-se.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

O que vai ser de nós?

Obrigada.

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Tragédia

é estar aborrecido e não ter chocolate em casa.

domingo, 25 de janeiro de 2009

E se eu um dia escrever uma coisa assim, prometo que volto.

"Then he would rise from the piano to perform his Monkish dance. It is always the same. His feet stir in a soft shuffle, spinning him slowly in small circles. His head rolls back until hat brim meets collar, while with both hands he twists his goatee into a sharp black scabbard. His eyes are hooded with an abstract sleepiness, his lips are pursed in a meditative O. His cultists may crowd the room, but when he moves among them, no one risks speaking: he is absorbed in a fragile trance, and his three sidemen play on while he dances alone in the darkness. At the last cry of the saxophone, he dashes to the piano and his hands strike the keys in a cat's pounce. From the first startled chord, his music has the urgency of fire bells."


Sou um cliché. Só gosto de standards. E vou jantar iscas de cebolada com batatas cozidas.

I like to spell "Thelonious"

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

A Ana de Amsterdam faz belos broches.

Desculpas para tudo

É incrível como as pessoas se deixam mediocrizar pelo trabalho.

Nihil

A minha vida dava um blogue; já o meu blogue.

O Blogger sugere-me: "Acelere o seu blog!" Mais ainda? Ao pé desta rapidez, até os créditos finais dos filmes que passam na RTP são lentos.

O verdadeiro significado da exclusão social

Parece que toda a gente conhecia o João Aguardela.

O Blogger sugere-me: "Exiba seus fãs!" Mas como, se vejo tão bem que eles têm vergonha de se exibir?

Dava-me um jeitaço que isto, de vez em quando, se parecesse com um blogue. Como dantes era o que nunca foi.

Sobre o post anterior, perguntaram-me se estava 'com os colhões apertados'. Ainda hoje me custa responder: se os tenho apertados, deve ser porque não os tenho.

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Civilização

Afinal, o trabalho prende. E prende. E volta a prender. Durante uns dias, fiquei feliz por ter comprado um objecto estúpido. Às vezes, ainda acho que consegui alguma coisa especial. Mas não. O trabalho prende. Há coisas que o trabalho e o dinheiro não pagam - diz o povo, tão bem, e o povo não sou eu, que eu digo o que não sou capaz de fazer. Tenho saudades de ti. E de ti. E de ti. E de ti. E de ti. Do que costumávamos fazer juntos, viver juntos, rir juntos. Não sei porque trabalho tanto se, no fundo, eu tenho saudades é de ti. Se algum dia me conseguires perdoar por tudo o que eu tenho trabalhado, por favor, bate-me. Eu sei que a minha vida de trabalho só está a começar agora, sei que não trabalhei ainda metade do que vou trabalhar. Mas peço-te perdão, porque todos os minutos em que trabalhei poderiam ser minutos em que matava as saudades de ti, tantas, tão fortes, dilacerantes. Eu trabalho, às vezes, sem saber trabalhar, e sempre por não saber viver. Não sei para que trabalho, se para já está tudo na mesma. Acredito, às vezes, por um tempo poucochinho, que um dia tudo será diferente. Melhor. Eu só não quero que esse dia seja tarde demais. Perdoa-me por tudo o que eu tenho trabalhado, por tudo o que eu vou trabalhar. Estás sempre comigo, noite e dia, dia e noite, e, tendo-te já, fazes-me querer-te mais do que tudo o que já quero. Perdoa-me. Andas por aí. Deixo-te só. Sinto-me só.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Os jornalistas da SIC chamam ao cumprimento de uma decisão judicial decretada há quatro anos (entregar Esmeralda à guarda do seu pai) uma “reviravolta judicial”. E o que será para o psicólogo Eduardo Sá? A verticalização instantânea do eixo da Terra?

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

A canção pop do ano que passou, a respectiva paródia e a melhor cover*











*Tão Peter Greenaway que isto está.

Ring-a-ding-ding (happy New Year me [and you])


___________________________________________