terça-feira, 17 de maio de 2011

Quer comprar

Nunca desdenhes de uma cama na qual dormiste, de um corpo que desejaste, de uma cabeça que estimaste como se fosse a tua — a única, de resto, que deves estimar, porque quem é bom e gosta de sê-lo só pode fazer o bem. Mas desdenha de ti, se for preciso — e da tua cabeça, também.

0 comentários: