quinta-feira, 5 de maio de 2011

Verdade, Mentira

Quanto mais falo, quanto mais digo, mais detesto dizer, mais detesto falar. As palavras são inúteis para contar a distância que nos separa — e, sobretudo, a que inventamos para nos separar. Faria um voto de silêncio para te prometer que, quando chegasses, o meu olhar te diria tudo, mas não confio no meu olhar. Como posso confiar naquilo que só tu tornas confiável com as tuas mentiras, com as nossas verdades?

0 comentários: