quarta-feira, 13 de julho de 2011

∞ ∞

A. disse-me, como tu, que todos os amores são desequilibrados: há sempre um que ama e outro que se deixa amar. Como resolver isto se nenhum de nós aceita menos do que a sua própria noção de infinito?

0 comentários: