quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Fúria

Não existe uma coisa chamada "fúria criativa". A fúria só descria. A menos que a expressão signifique que o furioso se reinventa na sua transfiguração. Mas como? Como pode alguém recriar-se para ser aquilo que o magoa, aquilo que, decerto, não quer ser?

Ou talvez a pergunta seja mais simples e a resposta mais clínica: o que há de consciente na autodestruição?

0 comentários: