quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Infância

Molero fala das campainhas da infância e eu peço-lhe que, onde ele estiver, as faça ressoar. E me apague estes fantasmas de carvão com uma borracha robusta, que não borre e deixe o branco imaculado, pronto a colorir.

0 comentários: