sábado, 19 de novembro de 2011

Comunicação

Quando Watzlawic escreveu que «ninguém pode não comunicar» referia-se, como é evidente, também à morte, mensagem pura — o morto não precisa de ser correspondido quando se mostra, ele é o facto inegável, a única verdade, mesmo para os que lhe sobrevivem, que lhe correspondem sabendo que um dia também eles serão mortos.

Há uma certa ironia nisto: um morto diz-nos, apenas, "um dia, este que já não sou, que já não é nada senão o que foi, serás tu", e essa mensagem não só é pessoal como, uma vez apreendida, se torna intransmissível. Para comunicá-la é preciso morrer.

0 comentários: